quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Caixa preta: Blog teve acesso a caixa preta da quadra poliesportiva do sítio vaca morta

Resultado de imagem para caixa preta dinheiro publico"

O blog círculo de fogo teve acesso a documentos trancados a sete chaves do governo Ferrari, em um trabalho ardiloso e sempre pautado com a verdade, o blog teve o cuidado de verificar fontes e pesquisar minuciosamente a respeito dos pontos aqui estacados.

Desde o ano passado que esse blog divulga com muita responsabilidade uma série de informações que tornou público os maiores ascenda-los de corrupção de Marcelino Vieira, desmascarando e mostrando o modos operantes do antigo grupo político que governava Marcelino Vieira.

Clique nos links para ter acesso as matérias anteriores

https://www.circulodefogo.net/2019/06/farra-do-dinheiro-publico-circulo-de.html
https://www.circulodefogo.net/2019/04/babau-nao-abre-maternidade-mas-alguem.html
https://www.circulodefogo.net/2019/03/editorial-marcelino-vieira-o-grande.html

Hoje vamos tentar entender para onde foi a quadra da vaca morta, enquanto leitores, vão somando.


Em 18 de julho de 2010, o município de Marcelino Vieira-RN, através de seu representante legal, José Ferrari de Oliveira, realizou uma solicitação ao Secretário de Estado da Infraestrutura, Dãmocles Trinta, para liberação de recursos financeiros a serem firmados, para a construção de uma quadra de esportes na comunidade Vaca Morta no valor de R$ de 130.000,00 (Cento e trinta mil reais), em que o município entraria com uma contrapartida no valor de R$ 13.000,00 (TREZE MIL REAIS), o total do convênio seria de R$ 143.000,00 (CENTO E QUARENTA E TRÊS MIL REAIS).

O projeto básico de engenharia foi orçado em R$ 143.000,00 (CENTRO E QUARENTA E TRÊS MIL REAIS).

O Termo de Convênio N° 104/2010-SIN foi assinado por seus representantes com o seguinte objeto “Repasse de recursos financeiros da concedente a conveniente, com o fim de somar esforços na realização dos serviços de quadra de esportes descoberta na comunidade Rural Vaca Morta em Marcelino Vieira-RN, conforme detalhamento do projeto, e especificações dos projetos e do plano de trabalho que integram o presente instrumento para todo os seus jurídicos e legais efeitos, com o valor do concedente de R$ 130.000,00 (Cento e Trinta Mil reais) e o convenente com R$ 13.000,00 (Treze mil reais) a título de contrapartida”. Com a vigência inicial até 31 de dezembro de 2010.

No termo de convênio conta o seguinte cronograma de desembolso: 1ª-Parcela: R$ 45.000,00 (QUARENTA E CINCO MIL REAIS) - Após a assinatura do convênio e registro na Controladoria Geral do Estado. 2ª-Parcela: R$ 45.000,00 (QUARENTA E CINCO MIL REAIS) - Mediante comprovação da aplicação dos recursos, com a prestação de contas da 1ª Parcela e a respectiva contrapartida. 3ª-Parcela: R$ 40.000,00 (QUARENTA MIL REAIS) - Mediante comprovação da aplicação dos recursos, com a prestação de contas da 2ª parcela e a respectiva contrapartida.

O convênio deixava claro que, ocorrendo a extinção ou rescisão do mesmo, por qualquer motivo, o saldo financeiro remanescente seria devolvido a entidade concedente, acrescida dos encargos devidos no prazo improrrogável de 30 dias contados a partir da data do evento. E a prestação de contas dos recursos financeiros utilizados seria feita através de comprovação da execução das obras, de conformidade as exigências do instrumento de convênio devidamente atestado pela comissão de recebimento das obras, com observância na legislação aplicável, em especial o Art. 84 do Decreto Lei N° 200/1967, Lei Orgânica do TCE e seu regimento Interno e Resolução N° 012/2007-TCE/RN, alteradas pela N° 002/2008-TCE/RN, no que diz respeito as obrigações de prestar contas.

Aos dias 16 de julho de 2010 às 9:00, na Câmara Municipal de Vereadores de Marcelino Vieira-RN, foi realizado licitação na Modalidade Convite, para contratação de empresa para execução dos serviços pactuados no termo de convênio objeto dessa Tomada de Contas Especial. A empresa contratada foi a Rio Grande Construções LTDA, inscrita no CNPJ: 02.020.085/0001-03, no valor de R$ 139.957,00 (CENTO E TRINTA E NOVE MIL NOVECENTOS E CINQUENTA E SETE REAIS), o contrato teve a vigência inicial de 21 de julho de 2010 à 31 de novembro de 2010.

Foi pago a empresa Rio Grande Construções LTDA o valor de R$ 49.500,00 (QUARENTA E NOVE MIL E QUINHENTOS REAIS) no dia 22/11/2010, através de cheque


Em 10 de dezembro de 2010 (Ofício N° 281/2010) o município solicitou ao Secretário Estadual da Infraestrutura a prorrogação da vigência e a adequação do cronograma físico financeiro, referente ao convênio N° 104/2010.

Em 20 de dezembro de 2010, o município remeteu ao Secretário Estadual da Infraestrutura, através do Ofício N° 298/10-GP, a prestação de contas, referente a 1ª Parcela do convênio N° 104/2010-SIN/PM Marcelino Vieira, para a construção de uma quadra poliesportiva na comunidade rural Vaca Morta, no valor de R$ 45.000,00 (QUARENTA E CINCO MIL REAIS) do concedente e R$ 4.500,00 (QUATRO MIL E QUINHENTOS REAIS) da contrapartida, totalizando R$ 49.500, 00 (QUARENTA E NOVE MIL E QUINHENTOS REAIS).

Em 24 de dezembro de 2010, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, assinou o decreto executivo N° 22.101 que “Estabelecia normas especificas para os convênios celebrados pelo poder executivo do Estado do Rio Grande do Norte com vistas à reversão orçamentárias para os fins que especificava e dava outras providências”. Em seu artigo primeira trazia, “Art.1- Fica determinada a todos os órgãos e entidades do poder executivo a imediata denúncia unilateral dos convênios em execução, por razões de interesse público, sendo vedada qualquer programação ou repactuação de convênios, a partir da data da publicação deste decreto”.

No entanto, o governo voltou a trás e efetuou a prorrogação dos convênios de 01 de janeiro de 2011 a 30 de junho de 2011, o ato se deu através do Decreto N° 22.139, de 30 de dezembro de 2010, o qual revogava as disposições do Decreto N° 22.101, de 24 de dezembro de 2010, e dava outras providências, e assim estabelecia,


Art.1- Ficam revogados o Art 1 e § do Decreto N° 22.101, de 24 de dezembro de 2010.

Art.2- Ficam prorrogados por 180 (Cento e oitenta dias) dos convênios celebrados com o governo do Estado do Rio Grande do Norte, excetuando-se aqueles denunciados ou rescindidos com fundamento no decreto N° 22.101, de 24 de dezembro de 2010, cujos extratos tenham sido publicados no diário oficial do estado.


Ao mudar de gestão no ano de 2011, a governadora Rosalba Ciarlini, assinou o Decreto Executivo N° 22.181 de 16 de março de 2011, determinando a denúncia unilateral, formal e especifica dos convênios administrativos de que descriminava e revogava o Decreto Estadual N° 22.139, de 30 de dezembro de 2010. O texto assim estabelecia,


Art.1- Os órgãos e entes públicos integrantes do poder executivo estadual devem proceder a imediata denúncia unilateral e especifica de cada um dos convênios administrativos, nos quais o estado figure como convenente, prorrogados em disposição do disposto no Art.2 do Decreto Estadual N° 22.139 de 30 de dezembro de 2010.


A Comissão de Controle Interno-CCI/SIN- mediante análise da prestação de contas do município, emitiu um relatório preliminar em que asseverava as seguintes conclusões: a) o convênio foi publicado em 21 de setembro de 2010; b) falta enviar cópia do convênio para a Assembleia Legislativa; c) A prefeitura solicitou prorrogação de prazo, através do processo N° 284607/2010-4, em 17.12.2010, fl 420, no qual foi atendido na fl 427 e revogado através do Decreto N° 22.181 fl. 431, tendo o seu prazo de vigência até 31.12.2010, fica cancelado o convênio, anulação do empenho fl.435/436; d) falta vistoria do fiscal Jorge Luiz F. O. Lira e e) Falta a prefeitura depositar o valor de R$ 1.524,39 (Um mil quinhentos e vinte e quatro reais e trinta e nove centavos) referente ao saldo remanescente do contrato na conta única do estado de N° 1000-6, Banco do Brasil, Agência 3795-6, código 1401.

Na sequência do foi emitido o relatório de vistoria final, que trouxe as seguintes conclusões sobre a execução do convênio:


Após vistoria “in locos”, contatamos que os serviços referentes à 1ª Parcela não foram totalmente executados conforme boletim de medição, expedido pela fiscalização da prefeitura municipal de Marcelino Vieira e nota fiscal apresentados e registro fotográfico anexo.

Assim sendo sugerimos que seja notificada a prefeitura municipal de Marcelino Vieira para tomar as devidas providências, ou seja, concluir os serviços referentes a 1ª parcela a esta fiscalização para que seja procedida a vistoria final.


O Gestor à época, José Ferrari de Oliveira foi notificado através do ofício N° 014/2012-GS.

Em seu relatório conclusivo, a Comissão de Controle Interno CCI/SIN diserta que da análise e conclusão conforme o relatório do fiscal José Jácome, a pós a vistoria técnica “in loco”, constatou-se que os serviços referentes a 1ª Parcela não foram totalmente executados em concordância com o boletim de medição e nota fiscal apresentados nas folhas 442/443/444. E trouxe como conclusão que, a Prefeitura foi notificada através da notificação N° 253/11 fls 447/448 e AR com data de recebimento em 19/09/2012, fl 449 e até o momento não corrigiu as falhas e conforme documentação anexa no processo houve desvio dos recursos conveniados.

Com isso a Comissão de Controle Interno concluiu pela irregularidade dos procedimentos cometidos consoante os documentos da prestação de contas e, consequentemente admitiu que a prefeitura conveniada, não cumpriu com as suas obrigações legais regulamentadas ao deixar de prestar contas nas condições exigidas, cometendo assim irregularidades a que resultou em prejuízo para o erário.

No cumprimento da legislação aplicável, com base nos termos do Art.75 da Lei Complementar Nº 464, de 05 de janeiro de 2012, Lei Orgânica do TCE/RN, em especial o Art.84 do Decreto Lei N° 200/1967 e resolução N° 012/2007 TCE/RN, alterada pela N° 002/2008, a Comissão de Controle Interno considerou que a prefeitura encontrava-se inadimplente com suas obrigações perante a Secretaria de Estado da Infraestrutura do RN e julgou irregular as contas apresentadas pelo ente, remetendo o processo ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte-TCE/RN.

O TCE/RN, efetuou uma inspeção da obra objeto do convênio N° 101/2010-SIN, oportunidade na qual constatou-se que o serviço denominado de “Contrapiso em concreto simples, espessura 5CM FCK=12,5 MPA” correspondendo a importância de R$ 13.495,73 (TREZE MIL QUATROCENTOS E NOVENTA E CINCO REAIS E SETENTA E TRÊS CENTAVOS), não foi executado, e que a obra encontrava-se em situação de completo abandono.

O TCE/RN, verificou que o município devolveu R$ 1.530,58 (UM MIL QUINHENTOS E TRINTA REAIS E CINQUENTA E OITO CENTAVOS) a conta única do estado. Na sequencia o Tribunal propôs citação aos responsáveis ligados diretamente à execução do convênio:



O prefeito municipal à época, o senhor José Ferrari de Oliveira (CPF: 322.728.634-34) o engenheiro fiscal Erlando Lopes de Holanda (CPF: 761.564.944-72) e a empresa Rio Grande Construções LTDA (CNPJ: 02.020.085/0001-03) por meio do seu representante legal o Sr. Roberto Pereira Rego (CPF: 282.888.824-04), sendo responsáveis solidariamente pelo dano ao erário na importância de R$ 13.495,73 (TREZE MIL QUATROCENTOS E NOVENTA E CINCO REAIS E SETENTA E TRÊS CENTAVOS) referente ao serviço pago e não executado descrito no parágrafo 12 do presente relatório.

O prefeito municipal e época, o Senhor José Ferrari de Oliveira, pela não conclusão da obra, o que pode ser viabilizado por meio de recursos próprios da prefeitura ou até mesmo, pela celebração de um novo convênio para a conclusão da mesma.


Após citação, senhor José Ferrari de Oliveira apresentou ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte-TCE/RN, defesa, expondo que,


Assim sendo o Sr. José Ferrari de Oliveira, atual prefeito municipal de Marcelino Vieira-RN, se compromete a empreender esforços no sentido de sanar as irregularidades apontadas pelo TCE na prestação de contas do Convênio Nº 104/2010-SIN/PREF. MUN MARCELINO VIEIRA-RN, que deverá inicialmente procurar a empresa para efetuar a conclusão da obra até a medição da obra que foi paga para evitar qualquer prejuízo ao município e passando esta etapa irá empreender esforço para concluir a obra e destina-la ao funcionamento para atender ao seu objeto. (Defesa datada de 19 de agosto de 2015).


O Senhor Erlando Lopes de Holanda, apresentou defesa asseverando que não era o fiscal da obra e pedindo a prescrição do processo. O TCE/RN, propôs três citação ao senhor Roberto Pereira Rego, que apesar de uma delas ter sido efetiva não apresentou defesa.

Não para por aqui, a próxima matéria desse blog abrirá  caixa preta da reforma do polo UAB de Marcelino Vieira e tentar entender para onde foi quase 1,5 milhões de reais não explicados que sumiu da prefeitura naquela época.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Marcelino Vieira: 2020 por enquanto é de Babau, mas 2024 está sem dono

Resultado de imagem para eleições"

Esse ano está complicado para a oposição de Marcelino Vieira. Sem nomes fortes para concorrer e sem aparecer durante os últimos 4 anos depois de uma gestão catastrófica a briga pela prefeitura em outubro é uma luta perdida. Sem estratégia política e esperanças o grupo vive hoje de especulações e tentativas de apontar os erros do governo Babau, sem muito resultado.

No entanto, em 2024 Babau não terá um nome forte para apoiar e isso abre uma brecha para o grupo oposicionista sonhar, claro, terão um grande trabalho, no entanto, contam com o esquecimento do povo ao seu favor.

A oposição precisa se organizar e articular uma estratégia sólida para 2024, com um nome que deve ser trabalhado desde já, esquecer Iramar e começar a pensar em alguém que pelo menos diminua a maioria de Babau ainda esse ano e fique firme em constante campanha nos próximos quatro.

Babau começou seu mandato muito bem e continua firme, óbvio que teve baixas no seu governo, perdeu apoios, vereadores, greves, diminuiu seu alcance na mídia e não há como agradar todo mundo, tudo isso ainda junta com o esquecimento da população que nem lembram mais como as coisas funcionavam nos anos anteriores, corrupção e escanda-los do governo Iramar e Ferrari já viraram lenda para muitos e isso só tende a aumentar nos próximos anos.

A possibilidade da oposição trabalhar um nome que possa vencer as eleições 2020 é quase nula, mas 2024 ainda está sem dono e os dois grupos precisarão agir com cautela nos próximos anos.

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

CAPOEIRA VIEIRENSE É REPRESENTADA EM NATAL

Direto de Natal o professor de Educação física e de capoeira, Gervásio Lima, representou a cidade de Marcelino Vieira na "roda da paz". Segundo o professor, foi um evento de grande importância que reuniu vários grupos de capoeira de todo o RN e outros estados!
"Tive o prazer de estar presente na companhia do meu mestre @mestregideao e de vários outros grandes nomes da nossa capoeira... 
Agradeço em especial a @prefeituramv  por todo o apoio e por acreditar no nosso trabalho, na importância da nossa cultura! 
Postou o professor em sua rede social.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

IEGM: PARA O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO-TCE/RN, O MUNICÍPIO DE MARCELINO VIEIRA-RN POSSUI UMA GESTÃO MUITO EFETIVA EM SAÚDE.

O atual cenário indica a necessidade de uma gestão pública voltada para resultados, cuja análise das necessidades sociais revela forte enfoque na qualidade da prestação dos serviços públicos. Os serviços públicos precisam ser continuamente modernizados, eficientes e efetivos, para acompanhar a evolução das necessidades sociais. É nesse contexto que o Tribunal de Contas promove o índice de efetividade da gestão municipal – IEGM (Fonte: TCE/RN).
.
Para o Tribunal de Contas do Estado-TCE/RN, o município de Marcelino Vieira-RN possui uma gestão muito efetiva em Saúde. Este resultado é consequência da prestação de serviços que vem sendo prestada a população da cidade de Marcelino Vieira-RN.
.
Como é sabido por todos, o gestor Kerles Jácome Sarmento (Babau), prioriza a saúde em sua gestão. Foram vários os investimentos, dentre eles normatização das equipes de trabalho do Estratégia da Família-ESF, aquisição e locação de veículos para o Programa Saúde da Família-PSF, abertura da Unidade Básica de Saúde Dona Elita, aquisição de um transporte eletivo (Van) para translado dos pacientes para outros centros urbanos, ampliação da Unidade Básica de Saúde Dona Laura e recentemente assinou convênio com a Liga Mossoroese de Estudos de Combate ao Câncer.
.
No entanto os avanços não foram somente na saúde, a educação está em fase de adequação, com certeza em 2020 vamos receber nota satisfatória uma vez que em 2019 implantamos o piso salarial dos professores, o fiscal foi conceituado como efetivo, e este conceito atribui-se a modernização do Setor de Tributação que hoje possui um sistema moderno para prestação de serviço aos munícipes e emissão de nota fiscal eletrônica possibilitando maior comodidade aos prestadores de serviço local. A cidade foi conceituada como muito efetiva e a área de TI como efetiva.
.
A conquista destes conceitos não foi fácil, no entanto nossa meta é tornar a gestão do município de Marcelino Vieira-RN efetiva em todas as áreas, destacou o prefeito Kerles Jácome Sarmento.
.
Assessoria de Comunicação.

sábado, 7 de dezembro de 2019

Política: 2020 está muito parecido com 2016

Resultado de imagem para futuro repetir o passado"

Até agora não se sabe quem são os candidatos apoiados pelo grupo "bicudo", assim como em 2016, o anúncio está demorando muito e isso não é bom, esse blog já avisou, estamos vendo o futuro repetir o passado, como diria Cazuza.

MARCELINO VIEIRA: VEREADORES DEVEM VOTAR ATÉ 2020 AUMENTO PARA ELES PRÓPRIOS E PREFEITO


Resultado de imagem para supersalários"

Os maiores salários do funcionalismo público municipal pode ficar ainda maior, isso porque os vereadores planejam aumentar os próprios salários para a próxima legislatura.

Marcelino Vieira gasta mais de 30 mil reais por mes, apenas com os salários dos vereadores e mais cerca de 18 mil com os salários de prefeito e vice.

A pauta bomba deverá ser passada até o final do próximo ano, uma vez que o aumento dos supersalários da administração é motivo de revolta da população e quanto mais se aproxima da eleição, mais fácil do povo lembrar.

No município de Colatina - ES, aconteceu algo semelhante, a câmara aumentou o salário do executivo, legislativo e secretariado, no entanto, o prefeito Sergio Meneguelli vetou o aumento e gravou um vídeo assinando o veto. O prefeito ficou conhecido como o melhor prefeito do Brasil, vamos torcer para que o legislativo use o bom senso e caso não use, o prefeito Babau siga o exemplo e vete o tal gasto

terça-feira, 26 de novembro de 2019

CONSTRUÇÃO CIVIL: Saiba qual a menor dimensão de um pilar


Resultado de imagem para pilar de concreto"


Atualmente com o desenvolvimento tecnológico e o grande mercado da construção civil, estão construindo edificações com pilares cada vez mais esbeltos, ou seja, com dimensões transversais reduzidas, principalmente quando tem-se arquiteturas mais ousadas ou quando querem economizar na obra. 

Porém, uma obra de construção civil é projetada para que possa ter uma vida útil de 50 anos, isso é, sem que venha a ruínas ou ocorram problemas que inviabilize o bom uso da edificação como trincas ou deformações excessivas, contradizendo assim o “dito popular” de que “eu sempre fiz assim e nunca caiu”. Para que isso seja possível, existem normas que ditam a boa técnica e projeto das edificações. 

Para o caso dos pilares, a NBR 6118/2014 que trata do projeto de estruturas de concreto armado, impõe que a menor dimensão para um pilar seja de 19 cm, podendo ser reduzida até 14 cm desde que se multiplique as cargas deste pilar por um coeficiente majorador, que no caso de uma dimensão de 14 cm majoraria em 25 % as cargas sobre esse pilar. Em qualquer caso, não se permite seção transversal menor que 360 cm². 

Muitas vezes é feito confusão até mesmo entre os engenheiros com relação ao uso da norma de desempenho NBR 15.575, que no item 7.2.2.1 tem o seguinte texto: 

“Para casas térreas e sobrados, cuja altura total não ultrapasse 6,0 m (desde o respaldo da fundação de cota mais baixa até o topo da cobertura), não há necessidade de atendimento às dimensões mínimas dos componentes estruturais estabelecidas nas normas de projeto estrutural específicas (ABNT NBR 6118, ABNT NBR 7190, ABNT NBR 8800, ABNT NBR 9062, ABNT NBR 10837 e ABNT NBR 14762), resguardada a demonstração da segurança e estabilidade pelos ensaios previstos nesta Norma (7.2.2.2 e 7.4), bem como atendidos os demais requisitos de desempenho estabelecidos nesta Norma.” 

Se prestar-mos bem atenção nas frases destacadas acima, a NBR 15.575 apenas dá resguardo para que se construam as casas térreas de modo convencional, pois dificilmente será possível utilizar esse critério para edificações com mais de um pavimento, já que esses 6 metros incluim desde o respaldo da fundação até o topo da cobertura, contando com telhado e reservatório. 

É necessário também atender os critérios de desempenho, ou seja, além de observar a estabilidade da estrutura, é necessário atender as condições de proteção contra corrosão (como o cobrimento mínimo de concreto), fissurações etc. 

O fato de uma edificação ser construída com pilares de 12 cm não significa que ela irá cair, uma prova disso são as construções espalhadas pelas favelas de todo o Brasil, o que se propõem com o uso adequado das normas, são que sejam atendidas as boas práticas de projeto e construção de modo que a edificação alcance sua vida útil de pelo menos 50 anos, sem apresentar patologias que inviabilize sua utilização ou a vida do usuário. 
Resultado de imagem para favelas construçaõ"

Portanto, é equivocado o entendimento de que é permitido a utilização de pilares menores que 14 cm como impões a NBR 6118, pois a NBR 15.575 apenas permite utilizar pilares menores na situação de casas térreas menores que 6 m de altura, desde que tenham um estudo para comprovar a garantia de desempenho mínimo da estrutura. 


Ronivon Bessa
Engenheiro Civil
CREA-RN nº 211885555-9






Na hora de construir, reformar e avaliar, procure especialistas


segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Humor: Personagem vieirense tem página apagada do facebook



O Velhinho digital influencer da política vieirense teve seu passatempo excluído em meio a comentários feitos pelo seu perfil sobre as comemorações dos 66 anos de Marcelino Vieira.

Trata-se do personagem Marcelino Zueira. O perfil foi criado em 2016 e mudou completamente a forma de fazer política nas redes sociais, no entanto, seu estilo sarcástico e ácido não agradou a todos e segundo ele, foi "atacado" digitalmente por haters que derrubaram sua pagina.

O Zueira procurou esse blog para avisar aos seus seguidores que já está de volta, o facebook analisou as denúncias e solicitou provas de que ele existe de fato, após enviar todos os documentos, o facebook liberou seu perfil.

Até hoje não se sabe quem é o autor da pagina, e o divertido vovô parece querer continuar no anonimato.

Sem festa dançante, prefeitura realizou uma programação especial para aniversário da cidade







O Prefeito Babau anunciou ainda em outubro que não faria festa dançante em praça pública no dia 24 para diminuir os gastos públicos, a prefeitura terá que pagar os 13° salários de todos os funcionários até o dia 20 de dezembro e isso já é um gasto bem excessivo, no entanto, não faltou programação, ouve eventos esportivos, inaugurações, alvoradas e o tradicional bolo.


Quando Babau assumiu a prefeitura em 2017 trouxe de volta a tradição das comemorações do aniversário da cidade que havia sido abandonada nos governos Ferrari, os dois últimos anos o aniversário da cidade foram comemorados com uma semana de festa, esse ano a programação durou dois dias, mas a data não foi esquecida.

Fotos e videos podem ser conferidos na pagina oficial da prefeitura no facebook


Marcelino Vieira fez 66 anos nesse domingo

Igreja de Santo Antônio : Marcelino Vieira (RN) - [19--]

A cidade de Marcelino Vieira completou 66 anos de história, o município originou-se de fazendas de criação de gado. Inicialmente, chama-se Passagem do Feijó. Em 1864, Raimundo Fernandes doou uma parte de suas terras ao Padre Bernardino José Queiroz então vigário de Pau dos Ferros, que iniciou a construção da capela. Dois anos depois o Padre Bernardino mudou o nome do arruado para Vitória, já à época, esparso, mas densamente povoado. 

Quando elevado à categoria de vila, passou a ser chamdo de Panatis, devido aos índios penatis, primitivos habitantes. Desmembrado de Pau dos Ferros e Alexandria, passou à Cidade com o nome de Marcelino Vieira, paraibano, chefe político de Luis Gomes, que impôs-se pela serena energia, bondade acolhedora, que valorizou, pela inciativa e exemplo, a terra que o considerava um dos melhores filhos.

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

A nova missão do general Villas Bôas: um instituto sobre doenças raras



Ex-comandante do Exército e atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional, o general Eduardo Villas Bôas lança no próximo dia 4 de dezembro, em Brasília, o Instituto General Villas Bôas (IGVB).
A entidade sem fins lucrativos se dedicará à organização do seu acervo pessoal e profissional e à promoção de ideias e debates em temas como geopolítica, Amazônia e Defesa. O instituto atuará ainda na difusão de informações sobre as chamadas Tecnologias Assistivas, voltadas a pessoas com doenças raras, crônicas e deficiências diversas.
Diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica desde 2016, o general Villas Bôas quer oferecer apoio a pessoas com deficiências e doenças raras, e suas famílias, sobre direitos, benefícios, tratamentos e recursos tecnológicos disponíveis, além de motiva-los a se manterem ativos, apesar da doença.
“A primeira coisa que muitas pessoas pensam ao receber um diagnóstico é como poderão se manter produtivas. Quero aproveitar que me tornei uma pessoa conhecida e com alguma capacidade de mobilização, motivação e de integração entre os órgãos públicos e privados”, diz.
O instituto será presidido pelo próprio general, ao lado da sua filha caçula, Adriana Haas Villas Bôas, que ocupará a função de diretora-executiva.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Marcelino Vieira: Ex vereadora Veronica Rodrigues é condenada em 2 anos de reclusão e tem direitos políticos suspensos

Resultado de imagem para veronica rodrigues marcelino vieira"


A Ex vereadora Verônica Rodrigues foi condenada pelo crime de uso de documento falso, o processo é o 0100290-91.2016.8.20.0143 e a consulta é pública no site do tjrn

O crime teria acontecido no ano de 2015, no Sítio Panati, Zona Rural do Município de Marcelino Vieira/RN, a então vereadora fez uso de documento público falsificado, ao entregar uma certidão de casamento falsificada a Francisco José da Silva e Francisca Paula de Almeida Silva, como suposto êxito na ação de retificação nº 0000489-81.2011.8.20.0143.

Consta, ainda, que Verônica, atuando como advogada, no ano de2015, entregou a certidão de casamento falsificada ao casal mencionado, afirmando ser fruto do êxito conseguido na ação judicial.

Ao verificar a referida certidão, uma filha do casal,observou que havia um erro na grafia do sobrenome de sua mãe, motivo pelo qual procurou o cartório de Tenente Ananias/RN para correção da certidão.

Ao chegar no cartório, a filha do casal  foi informada pela tabeliã que a certidão era falsa e fez a denúncia foi recebida em 15 de junho de 2016

Ao analisar todas as provas o Juiz Emanuel Monteiro aceitou a denuncia e julgou a ex vereadora como culpada, estabelecendo a pena de  02 (dois) anos de reclusão e 10 (dez) dias multa em regime aberto

O Juiz substituiu a pena privativa de liberdade imposta a ré por duas mais brandas:
a) prestação pecuniária, no importe equivalente a 10 (dez) salários mínimos vigentes em favor de entidade a ser indicada na execução penal.

b) comparecimento mensal obrigatório em juízo para informar e justificar suas atividades.

O Juiz também solicitou que informasse ao TRE através de oficio para que seja suspensos os direitos políticos da ex candidata.

A ex vereadora, advogada e médica ainda pode recorrer em instâncias superiores
 __________

Nota da edição - 13.11.19 ás 10:30min

Na matéria original esse blog postou uma imagem pública da campanha política de 2016 no qual a candidata Verônica Rodrigues aparece ao lado de sua vice Roberta Fernandes. Roberta ficou incomodada e com receio de que seu nome fosse ligado ao conteúdo da matéria. Para evitar essa confusão, trocamos a imagem original.

ALTO OESTE POTIGUAR JÁ CONTA COM PONTO DE ENGENHARIA CIVIL NA CIDADE DE MARCELINO VIEIRA-RN


RONIVON BESSA - Engenharia Civil e Consultoria - fica localizado na Rua Desembargador Licurgo Nunes, N° 26, centro, rua da pista


O ponto de engenharia RONIVON BESSA - Engenharia Civil e Consultoria - propõe atender serviços privados e públicos de modo a proporcionar maior economia, segurança, qualidade e rapidez nos serviços através de parcerias e terceirizações com profissionais da cidade, das cidades vizinhas e até mesmo de outros estados. O escritório pode ser procurado para serviços de Projetos arquitetônicos, estruturais, combate a incêndio, elétrico e hidrossanitário, execuções, consultorias, laudos técnicos, avaliações imobiliária, treinamentos de mão de obra, material didático, planejamentos urbanos e de obras, entre outras atividades relacionadas a Engenharia Civil.

Devido ao grande crescimento e desenvolvimento da indústria da construção civil, bem como o grande aumento do número de profissionais responsáveis técnicos e o maior controle e fiscalização por parte dos órgãos regulamentadores como as prefeituras e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), surge na região uma maior procura por profissionais de Engenharia Civil.

A cidade de Pau dos Ferros já conta com uma inspetoria do CREA-RN que vem atuando de forma permanente em todas as cidades da região, no qual é fiscalizado a existência de responsáveis técnicos nas obras, bem como o exercício irregular da profissão, prevenindo assim a sociedade desses tipos de irregularidades. A não contratação de Profissionais da Engenharia devidamente registrados no CREA causa embargo da obra e multas que nos casos mais corriqueiros podem chegar em torno de R$ 1.788,72 para pessoa física e R$ 5.366,16 para pessoa jurídica.

A fim de amenizar essas irregularidades e melhorar a qualidade das obras civis na cidade de Marcelino Vieira e demais regiões, o Engenheiro civil Ronivon Bessa abriu um ponto de Engenharia Civil na cidade para que sirva como referência na hora de se iniciar qualquer atividade relacionado a construção civil, seja serviços públicos ou privados.

O escritório pode ser contatado via internet pelos seguintes contatos: