Pular para o conteúdo principal

Brincadeira no WhatsApp vira caso de polícia com fotos íntimas de menores divulgadas em MS


O que começou como uma brincadeira de desafio em um grupo de WhatsApp virou caso sério de polícia em Naviraí. Alguns dias atrás começaram a circular na internet e principalmente em grupos de WhatsApp, várias fotos de jovens, muitas delas menores de idades seminuas e nuas.

As fotos foram tiradas pelas próprias meninas que eram desafiadas em uma brincadeira a mandarem fotos delas de seminuas ou até mesmo completamente nuas. Os autores desta suposta brincadeira, ao receberem as fotos começaram a repassa-las via celular via WhatsApp, sendo que um deles chegou a publicar as fotos no Facebook.

O caso que tomou uma enorme proporção chegou até o conhecimento da Dra. Cláudia Angélica Gerei, responsável pela DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher) de Naviraí que de imediato passou a investigar o caso, e identificou os principais suspeitos de terem começado a brincadeira e que estavam repassando as fotos. Segundo a delegada, alguns aparelhos celulares foram apreendidos e estão sendo periciados. Outros supostos autores estão sendo investigados.

Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, e crime de acordo com o artigo Art. 241-A da Lei nº 11.829, de 2008, do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), e prevê pena de reclusão, de 3 a 6 anos, e multa.

A delegada avisa para quem tenha essas fotos armazenadas em seus celulares ou em computadores, que apaguem as mesmas “Se recebermos alguma denuncia que uma pessoa tenha essas fotos armazenadas, vamos verificar, e se for comprovado, a pessoa será presa em flagrante” explica a delegada.

Quem ainda tiver recebendo estas fotos, ou recebeu e queria colaborar com as investigações denunciando o autor que repassou as fotos, pode comparecer na Delegacia da DAM e procurar a Dra. Claudia, que tomara as medidas necessárias contra quem ainda estiver repassando as imagens.

Comentários