Pular para o conteúdo principal

Três em cada quatro cidades do RN estão com alta incidência da dengue

O último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP), relativo à semana epidemiológica 26, com término em 02 de julho deste ano, mostrou que estão confirmados 8.017 casos de dengue no RN. Em todo o Estado, 126 municípios, o que corresponde a 75,4% das cidades potiguares, estão com alta incidência da dengue, dado preocupante.
Outros 28 municípios, ou 16,8% do total, estão em média incidência e 12 municípios, apenas 7,2%, com baixa incidência da doença. Os dados fazem parte do Programa Estadual de Controle da Dengue (PECD).

Entre os casos confirmados, 7.934 são de dengue, 72 são dengue com sinais de alarme e 11 como dengue grave. Em 2015, no mesmo período foram confirmados 5.523 (21,90%), sendo 5.466 para dengue, 48 para dengue com sinais de alarme e 9 como dengue grave.

Sesap cobra atenção dos profissionais de saúde à necessidade de notificação
Diante dos números, a SESAP alerta aos profissionais de saúde sobre a responsabilidade para notificação de todos os atendimentos que se enquadrarem na definição de caso suspeito de doenças de notificação compulsória definidas pelo Ministério da Saúde. Se enquadram nestes casos as pessoas que tenham viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo dengue ou que tenha a presença do vetor Aedes aegypti.

Outros casos que merecem atenção são as pessoas que apresentem febre, usualmente entre 2 a 7 dias e apresentem duas ou mais manifestações como náuseas, vômitos, exantemas, mialgias, artralgia, cefaléia.

“É importante que pessoas com esses sintomas procurem uma unidade de saúde e que os profissionais das unidades notifiquem imediatamente”, alerta a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE), Maria de Lima Alves.

Chikungunya
No RN foram notificados este ano 19.566 casos de febre chikungunya, sendo 4.855 confirmados, com 15 óbitos. No ano de 2015 foram notificados 4.745 casos e 11 confirmados. A 7ª Região de Saúde (Extremoz, Macaíba, Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante) concentra o maior número de casos notificados, seguida pela 2ª (Mossoró) e 4ª (Caicó) Regiões.
A incidência da doença no ano 2016, considerando a população de 100 mil habitantes, mostra que os indivíduos mais atingidos pela doença são menores de 4 anos e adultos acima de 60 anos.
Em relação à faixa etária, dos 15 óbitos confirmados no ano 2016, 93% ocorreram em indivíduos acima de 60 anos. Esse comportamento aponta para a gravidade da doença nesse grupo etário, tendo em vista que entre os maiores de 60 anos encontra-se grande número de pessoas com outras doenças de base que podem agravar o quadro de chikungunya, podendo mais facilmente evoluir para óbito.
Zika
Até o momento, foram notificados este ano, 4.846 casos suspeitos de zika-vírus, sendo 3 casos confirmados. No ano de 2015, para o mesmo período, foram 4.809 casos notificados e 73 confirmados.
No ano de 2015 e 2016, foram notificados 26 e 149 óbitos respectivamente. Dos óbitos notificados em 2016 para dengue, zika e chikungunya, após investigação e exames específicos, os óbitos tiveram a seguinte classificação final: 2 confirmados para dengue grave, 15 chikungunya, 3 para zika, 127 em investigação e 2 descartados para esses agravos. Somando um total de 20 óbitos encerrados.

Comentários