Pular para o conteúdo principal

Paris: Estado Islâmico divulga comunicado explicando o porque dos atentados

atentados paris estado islâmico

       O grupo extremista Estado Islâmico divulgou neste sábado (14/11) um comunicado, com versões em árabe e francês, em que reivindica a responsabilidade pelos ataques da noite desta sexta-feira em Paris.
       No texto, o EI classifica Paris como “capital da abominação e perversão” e afirma que oito militantes realizaram os ataques armados de metralhadoras e cintos com explosivos.
Os locais dos ataques teriam sido escolhidos “antecipadamente e especificamente”: o Stade de France pela presença do presidente François Hollande e a casa de shows Bataclan porque eram onde “centenas de idólatras se reuniam em uma festa de perversidade”, além dos restaurantes da região. “A França e aqueles que seguem seu caminho devem saber que continuam sendo os principais alvos do Estado Islâmico”.
      O grupo culpa o país por “insultar o profeta, se gabar de lutar contra o islã na França e atacar muçulmanos no Califado com seus aviões”, em referência à participação nos bombardeios aéreos em territórios controlados pelo EI na Síria e no Iraque. “Este ataque é só o início de uma tempestade e um alerta para aqueles que desejem retirar lições dele.”
     Especialistas acreditam que a reivindicação é verdadeira. “[O comunicado] foi escrito no estilo de pronunciamentos do EI e de outros grupos extremistas e demonstra uma visão de mundo que se tornou tristemente familiar nos últimos anos”, afirma Jason Burke, especialista em terrorismo do jornal britânico The Guardian.
François Hollande prometeu uma resposta “implacável” aos atos de terror e decretou três dias de luto nacional.

Confira abaixo trechos do comunicado em tradução livre:
“Oito irmãos carregando coletes suicidas e armas automáticas alvejaram áreas no coração da capital francesa que foram especificadamente escolhidas antes: o Stade de France durante uma partida contra a Alemanha na qual o imbecil [sic] François Hollande estaria presente; o Bataclan, onde centenas de idólatras estariam juntos numa festa da perversidade; além de outros alvos no 10º, no 11º e no 18º arrondissements”
(…)
“A França e todos aqueles que seguem seu caminho devem saber que permanecem o principal alvo do Estado Islâmico.”
“Alá (…) lançou o terror contra seu coração”, diz o grupo, que chama Paris de “a capital da abominação e da perversão”.”Paris tremeu sob seus pés [dos terroristas].”
“Este não é nada mais do que o começo de uma tempestade e uma advertência para aqueles que queiram meditar e tirar suas conclusões”.

Comentários