Pular para o conteúdo principal

Lojas, salões, start ups: Marcelino Vieira começa a acordar para o empreendedorismo

Com implementação da Lei Geral, o município incentivou abertura de novos negócios        Há quem acredite que o livre comercio e a diminuição do Estado é o segredo para o desenvolvimento de um país, por outro lado, tem os que acreditam no empoderamento do estado como forma de dirimir problemas e a desigualdade social. Seja como for o Brasil não é extremista de nenhuma delas, nosso governo é de centro e apesar de ter um estado muito grande, até maior do que deveria, vem apoiando o empreendedorismo, com a implementação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, a criação do "Micro-empreendedor Individual" despertou a vocação empreendedora de muita gente, que, viu na abertura de negócios próprios, o caminho para o progresso no Brasil como um todo, mas na aridez do sertão uma cidade se destaca.
       "Apesar de ter uma vocação para a indústria cerâmica e agropecuária, a economia de Marcelino Vieira está muito centrada no setor de comércio e serviço. O problema é que a maioria dos negócios se mantinha na informalidade. O cenário sofreu uma reviravolta depois da sanção da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa na cidade e, principalmente, de o município ter colocado em prática o que determina essa legislação a partir de 2012" afirma o SEBRAE.
        A pacata cidadezinha do interior se destaca quando o assunto é empreendedorismo, dados do SEBRAE afirma que temos o maior numero de empreendedores per-capta da região e esse numero cresce a cada dia, os cidadões vieirenses viram em meio a tanto sofrimento uma alternativa de mudar de vida por sí mesmos, em 2014 Marcelino Vieira contava com 144 empresas formalizadas.

Arrecadação
 
           De imediato, a arrecadação própria da cidade deu salto, praticamente dobrando em relação ao período antes da implementação da Lei Geral. Até 2010, o valor não chegava a R$ 300 mil por ano. Após a implementação, o volume aumentou quase 100% no comparativo com 2009, passando de R$ 234 mil para R$ 421,7 mil em 2014.

Outro reflexo direto foi a inserção desses empreendedores nas licitações municipais com os pregões presenciais. Atualmente, todo o volume de compras basicamente fica entre as empresas da cidade. Dos itens da merenda escolar e materiais de expediente aos serviços de transporte e publicidade, tudo é adquirido na própria cidade.

Tipos de negócios e Oportunidade:

         Apesar do salto crescente de empreendedores a cidade se matem nos negócios tradicionais: comercio e varejo, a venda direta ainda é um forte propulsor de economia mas é a escolha de poucos empreendedores. O Marketing segmentado ainda é pouco utilizado essa nova "barcada" de empreendedores preferem utilizar as redes sociais para divulgar seus produtos e serviços.
       Ainda há muita oportunidades na cidade, ainda falta em Marcelino Vieira empresas de Tecnologia, softwares e hardwares, o mercado de vendas diretas ainda é pouco explorado pelos empreendedores que preferem abrir loja fisica e esperar os clientes chegarem até ela.
           Parcerias entre empreendedores de nichos pode ser uma excelente oportunidade de alavancar o crescimento de ambas as partes e quem sabe o nascimento de um novo mercado.


Comentários