Pular para o conteúdo principal

Abri uma micro-empresa: Como devo reivestir e quando posso começar a me pagar?

 http://www.treasy.com.br/wp-content/uploads/2015/05/416x200xreinvestir-lucro-011.png.pagespeed.ic.7zn9MUVMxf.png
Abrir uma empresa não é uma tarefa fácil, esqueça finais de semana, tempo livre, se livar do chefe tem suas vantagens mas para isso você deve se doar, estudar bastante sobre Marketing, controle de estoques, processos e finanças, entender de finanças é algo fundamental para todo empreendedor. Durante o curso de Administração aprendi a gerir grandes empresas, o funcionamento de multinacionais e estatais, no final do curso comecei a me interessar pelo empreendedorismo e vi que as regras do grande empresário não são as mesmas para o pequeno.

Quem começa um micro-negócio geralemente encontra-se sozinho e sem dinheiro, isso é fascinante, o empreendedor é uma verdadeira maquina de transformar qualquer tostão em muito dinheiro, porém as estatísticas mostram que 90% das empresas costumam fechar nos primeiros dois anos, daquelas que sobrevivem, 90% fecham até alcançar os 5 anos e não podemos culpar somente o mercado ou as crises, muitas vezes eles descobrem que não aquilo que desejam, outras vezes estão preocupados demais com as dívidas para fazer cursos, se especializarem e acabam torrando toda a grana que deveriam ser reinvestido na ampliação de sua organização. O pequeno empreendedor ainda peca no aspecto educação financeira.

Antes de saber como começar a se pagar o empresário precisa saber qual a sua real margem de lucro, por exemplo, supondo que você tem uma lojinha de Roupas em Marcelino Vieira, compra peças em Pau dos Ferros por R$ 30,00 e as revende por R$ 60,00, Ótimo você deve pensar, é exatamente isso que eu faço e tenho lucro de 50%! Errado. Você precisa ir até Pau dos Ferros comprar a roupa então tem custo com gasolina, seu carro vai aos poucos ficando mais desgastado com suas viagens e logo vai precisar de um concerto, você tem um telefone para ligar para os clientes, sua loja precisa está bem iluminada, certamente você serve café, chá, água para seus clientes, sua ficha de clientes é impressa, seu computador vai se desgastando a cada ano assim como seus móveis, você também paga aluguel do espaço, contador e impostos todo fim do mês, enfim tudo isso deve ir para o papel para calcular seu lucro real, muitos empreendedores não tem nenhum lucro e não se dar conta disso.

Quando realmente é determinado que a sua empresa gera lucros, é preciso definir como e quando fazer a distribuição. Os três caminhos mais comuns são reinvestir em capital de giro, na estrutura na empresa ou no longo prazo.

É sempre bom manter certa quantia em dinheiro (ou em investimentos de curto prazo) para eventuais necessidades. Quando uma empresa cresce e assume contratos maiores, vale reestudar o fluxo de caixa para prever possíveis faltas. Assim, para períodos de caixa baixo, ter uma reserva possibilitará passar por estes momentos sem sufocos e sem utilizar de dinheiro de terceiros (pagando juros, consequentemente). Para empresas novas, que sentem mais a sazonalidade, ou que ainda não possuem um bom planejamento financeiro, vale guardar certo capital de giro pelo menos até entender o mercado e conhecer seus altos e baixos. 

Seja em máquinas, veículos, modernização de sistemas ou treinamento da equipe, é sempre bom manter uma empresa atualizada, moderna, com equipamentos novos e confiáveis. Isso garantirá satisfação dos clientes, confiabilidade nos processos produtivos, aumento (ou garantia) de vendas e uma imagem de empresa próspera, tanto aos clientes quanto aos colaboradores. 
Receber seu salário? Somente quando você tiver lucro suficiente para cobrir o 3 próximos meses.

Comentários