Pular para o conteúdo principal

Embrapa capacita mais de cem radialistas no Semiárido brasileiro


Adilson Nóbrega - Radialistas reunidos em Crato (CE)
Walter Ferreira, 71, é animador sertanejo e radialista no município de Espinosa, em Minas Gerais. Carlos André Lima Campos, 22, trabalha como radialista há cinco anos na Amanhecer FM de Canindé de São Francisco, Sergipe. Luciano Pinheiro de Almeida, 40, é vereador e radialista da emissora comunitária Mandacaru, em Luís Gomes, no Rio Grande do Norte. Idades diferentes, experiências distintas, mas em comum a profissão de radialista e a vontade de participar ativamente de ações que ajudem a promover o desenvolvimento local nas comunidades onde estão inseridos.

Os três comunicadores estiveram presentes nos Encontros de Radialistas dos Territórios da Cidadania atendidos pelo Plano Brasil sem Miséria onde a Embrapa atua diretamente nos projetos de inclusão produtiva rural. Com 32 mil habitantes, Espinosa é um município que integra o Território Serra Geral, no norte de Minas Gerais. Canindé de São Francisco, município sergipano com 28 mil habitantes, famoso pelas belas paisagens e por fazer parte da rota do cangaço, integra o conjunto de municípios localizados no Território Alto Sertão Sergipano. Com pouco mais de 10 mil habitantes, a cidade de Luís Gomes, rica por sua cultura local, está situada no Território Alto Oeste Potiguar (RN).

Assim como Carlos, Luciano e "seu" Ferreirinha, apelido carinhoso dado ao radialista mais velho do grupo de Serra Geral, outros 98 comunicadores de emissoras do Semiárido estiveram presentes aos encontros realizados pela Embrapa Informação Tecnológica (Brasília/DF), realizados em parceria com quatro centros de pesquisa da Empresa: Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza/CE), Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral/CE), Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas/MG) e Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju/SE). Os eventos acontecerem nos meses de novembro e dezembro, no Crato (CE), Aracaju (SE) e Janaúba (MG) e contaram com o apoio da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço) e do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

As capacitações integram a primeira etapa do projeto Ações de capacitação e divulgação de informações tecnológicas para apoio à inclusão produtiva rural no Plano Brasil sem Miséria, liderado pela jornalista e gerente-geral da Embrapa Informação Tecnológica, Selma Lúcia Lira Beltrão. "A experiência tem sido muito positiva, pois demonstra como pesquisa, extensão e comunicação podem atuar conjuntamente com um objetivo maior – a promoção do desenvolvimento local a partir não somente da divulgação via Prosa Rural de tecnologias apropriadas a cada uma das regiões, mas do protagonismo das comunidades envolvidas. O desafio maior agora é intensificar o trabalho em rede, incluir outros parceiros e colocar em prática o que foi planejado", destaca.

Durante os eventos, os comunicadores participaram de uma oficina de produção radiofônica e como atividade prática produziram um pequeno programa a ser veiculado de forma regional nas suas emissoras, relacionando a importância da comunicação nos territórios com as tecnologias sociais que vêm sendo trabalhadas com os agricultores familiares pelos projetos territoriais em execução pela Embrapa e parceiros.

Foi também um momento importante para ampliar as parcerias em torno do programa semanal de rádio Prosa Rural, porque muitos radialistas demonstraram interesse em se tornar parceiros do Prosa Rural. Alguns já transmitem o programa, como é o caso do comunicador Henrique dos Santos Cavalcante, da Rádio Comunitária São Francisco FM, do Crato (CE). Desde 2004, ele é parceiro do Prosa Rural e veicula informações sobre as tecnologias da Embrapa para o Semiárido. Por outro lado, Givanildo Ferreira Santos, da Rádio Digital FM 106,1, de Nova Porteirinha, um dos participantes da oficina de Janaúba (MG), ainda não conhecia o programa, mas já está pronto para transmiti-lo, pois percebeu sua importância para o desenvolvimento da agricultura local.

Para Carlos André Lima Campos, um dos radialistas mais jovens da oficina de Aracaju/SE, o aprendizado adquirido durante o encontro tem sido útil nas atividades que vem sendo desenvolvidas na sua emissora e também contribuído para novas decisões. "É da minha personalidade aproveitar oportunidades que aparecem, como essa oferecida pela Embrapa e a rádio comunitária proporciona essa possibilidade de ajudar a comunidade", diz. Carlos, além de comunicador, é diretor de programação da emissora e responsável por dois programas, um jornalístico e outro musical.

Para o instrutor responsável pela capacitação em Janaúba, Elias Pereira dos Santos, da Rádio Comunitária UFMG Educativa, de Belo Horizonte, o rádio nunca vai acabar. Não acabou com a chegada da televisão e continuará tendo o seu lugar, mesmo com as mídias sociais. "O rádio se reinventa a cada época, estará sempre presente em nossas vidas", destaca, lembrando que agora o desafio maior do radialista é levar sua programação também para a internet. "Porém, sem nunca deixar de lado essa questão da proximidade com o ouvinte, de fazer de cada entrevista um diálogo, uma conversa. O que faz toda a diferença".




Prosa Rural

A Embrapa atua, desde 2003, na produção do programa radiofônico Prosa Rural com o objetivo de levar semanalmente aos agricultores familiares e jovens rurais informações sobre tecnologias de baixo custo e aplicação prática que possibilitem a melhoria da qualidade de vida desses agricultores. O programa conta com uma rede de mais de 1.300 rádios parceiras na veiculação do Prosa Rural em todo o País. No semiárido brasileiro, cerca de 600 rádios compõem essa rede e boa parte dos radialistas que participaram da oficina já são parceiros na veiculação do programa nos estados do Ceará e Rio Grande do Norte.

Maria Clara Guaraldo (MTb 5027 /MG)

Embrapa Informação Tecnológica

informacao-tecnologica.imprensa@embrapa.br

Telefone: (61) 3448 - 2493

Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)

www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Mais informações sobre o tema

Comentários