Pular para o conteúdo principal

Ativistas tiram a roupa para protestar no Rio contra turismo sexual na Copa

Ato do Movimento Bastardxs contra a exploração sexual na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, RJ, neste domingo (6). Ativista Sara Winter, ex-Femen, integra movimento feminista Bastardxs. (Foto: LUCAS REZENDE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)
Ato do Movimento Bastardxs contra a exploração sexual na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, RJ (Foto: LUCAS REZENDE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)


Um grupo de ativistas do grupo Bastardxs protestaram na manhã deste domingo (6) em Copacabana, na Zona Sul do Rio, contra o turismo sexual durante a Copa do Mundo. Revoltadas com a suposta passividade da Fifa com o problema durante o mundial, elas exibiam um cartaz em inglês com um "menu da Fifa", onde os pratos eram as ofertas de turismo sexual e seus preços.  De top less, as ativistas também posaram como os "pratos" do menu.
Segundo as manifestantes, crianças são exploradas em lugares como a Vila Mimosa, na Zona Norte do Rio por valores a partir de 15 dólares.

"Fizemos pesquisa de campo nesta zona de prostituição e recebemos informação sobre a existência da exploração de meninas de 10 anos de idade, após contato com cafetões. Durante a pesquisa, constatamos também que era grande o número de adolescentes que não tinham nem os seios desenvolvidos se exibindo e prostituindo", disse Sara Winter,
ativista do Bastardxs.

Ela acrescenta que na Zona Sul do Rio, o grupo também teria constatado casos de prostituição de crianças e adolescentes. O grupo cobra postura mais dura da Fifa e de autoridades para coibir esse tipo de prática.

Comentários