Pular para o conteúdo principal

Resumo da seção da Câmara: Gestor veta participação da Emater, Igrejas Evangélicas e a Câmara Municipal em Conselho e dois vereadores votam a favor! Vejam detalhes!

Ontem 31/05 ocorreu a Seção ordinária na Câmara dos Vereadores de Marcelino Vieira-RN Estiveram presentes os vereadores: Ademar, Chico Filho, Adalberto, Branco, Luiz Bento, César e Pedro Júnior como presidente da casa. Ausentes: Verônica Rodrigues e Luzimar.

 De início foi aprovado à ata da seção anterior, como sempre. Em seguida, o Vereador Pedro Júnior leu que a procuradoria da justiça federal recomendou a Câmara transparência nos serviços público vieirense, até mesmo instalação de um ponto eletrônico para os funcionários da saúde. Luiz Bento pediu a palavra pra falar sobre o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário que foi criado sem ser divulgado corretamente, como foi divulgado neste blog, nesta bagaça. Segundo o Vereador Luiz foi criado um conselho de fachada, sem ninguém saber e que algumas ementas elaboradas pela Câmara foram vetadas pelo Gestor público. O Gestor Municipal vetou a participação de um representante das Igrejas evangélicas, Emater e da referida Câmara de Vereadores vieirenses (ou seja, estas pessoas foram proibidas de participarem do conselho) e esta informação está exposta no site da Prefeitura Municipal de Marcelino Vieira, se você não estiver com uma preguiça danada como eu estou agora, pode verificar este documento.

Em seguida, o Vereador Branco (evangélico, segundo ele diz), relatou que congratulava com a preocupação do Vereador Luiz Bento acerca da arbitrariedade proposta pela Administração Pública quanto ao Conselho, ao lamentar o veto sobre as Igrejas Evangélicas. O mesmo vereador (irmão Branco) falou sobre a precariedade da Rua Vice- prefeito Chiquinho Deodete, a lama e impossibilidade de transitar com auxílio de algum transporte motorizado. Neste momento, o Vereador (o vice-secretário de Obras ou alguma coisa ligado a obras) Ademar pediu a palavra e destacou que poderá realizará a reestruturação desta rua só quando enxugar o terreno, ou melhor, parar as chuvinhas. O vereador César também falou sobre os problemas que as pessoas desta rua estão vivenciando há bastante tempo.

Chico Filho também usou a palavra dizendo que falar é fácil, relatando que não é fácil realizar a obra nesta rua devida à umidade e mato que é grande (as muriçocas que tem em Marcelino Vieira devem sair de lá), ocasionada pelas chuvas. Valcimar Cosmo fez um requerimento pedindo o roço nas estradas das zonas rurais, Justificando que neste mês de junho tem festa e com o roço melhoraria o fluxo de veículos nas localidades Rurais do Município. Neste ponto, o Vereador Ademar disse que já começaram o roço no Panati e Vila Ana Henrique. Logo em seguida, foi aprovado o requerimento do irmão Branco. Pedro Júnior relatou a preocupação com os acidentes que estão ocorrendo na cidade, pedindo fiscalização e educação de trânsito, o Vereador do bigode grosso também lembrou que projetos como este foram vetados pelo poder executivo municipal.

O vereador Pedro Júnior relator que uma certa pessoa afirmou pra ele mesmo que os vereadores vieirenses  não fazem nada, são vereadores quebra-mole (Mas, lembrando que neste sábado não foi votado ou discutido nenhum requerimento para construção de lombadas).

No final da seção foi votado o projeto do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário com o veto do Prefeito, ou seja, com a proibição da participação de um representante das Igrejas evangélicas, Emater e da referida Câmara de Vereadores vieirenses. Quatro vereadores votaram contra o veto do prefeito: Chico Filho (Algumas pessoas relataram que ele poderia ter votado enganado, mas não, ele entendeu realmente a votação e foi contra mesmo a decisão do Gestor Municipal. Se fosse outra (as) pessoa (as) eu ficaria com dúvida, mas Chico Filho é realmente entendido e concentrado), Branco, César e Luiz Bento. Foram a favor do veto Ademar e Adalberto. No entanto, o projeto segue como original, ou seja, com o veto do Gestor Municipal, porque foram menos de 5 votos.

Nesta seção não conseguimos captar nenhuma mensagem de Adalberto sobre as discussões acerca dos temas destacados anterior, a não ser reclamando de um inseto que tinha picado a sua barriga e coçando-a loucamente.


Comentários