Pular para o conteúdo principal

José da Penha: Alunos voltam à escola após 10 dias da morte da estudante Andressa Fontes.

Desde a manhã da última segunda-feira (13), alunos, professores, funcionários, pais e toda comunidade participaram de missas e cultos evangélicos com bênçãos de louvor a Deus para acolher a todos. Onde o momento ainda é de muita tristeza e dor daquele inesquecível momento vivenciado na Escola Municipal 4 de outubro em José da Penha.

Após 10 dias da morte da estudante Andressa Caroline Fontes assassinada brutalmente pela pessoa de José Marcos Alves, estudantes voltaram a assistir aula normalmente nesta quarta-feira (16) e muitos não conseguiram conter a emoção ainda de muita tristeza e dor.  Cerca 30% dos alunos não compareceram ao primeiro dia de aula e alguns saíram antes mesmos do termino das aulas.

"É muito triste depois de uma tragédia desta a gente voltar à escola”, sem passar um filme em nossa mente, todos nós estamos aqui nos esforçando para ter uma vida melhor, realizar nossos objetivos e de repente alguém consegue encerrar em alguns minutos de ódio, a vida de uma pessoa cheia de sonhos e de realizações. Desabafou em prantos uma aluna, de 14 anos que não quis se identificar.

Uma aluna do 9º ano, colega de sala de aula e amiga de Andressa Fontes estava na sala quando a mesma se retirou da sala a chamado do acusado e de repente, ouviu vários disparos e muita correria. "Todos os dias vou entrar nessa escola de novo e saber que mina amiga não estar mais aqui comigo. Não sei se vou continuar".

Outro colega de Andressa Fontes, também de 14 anos, revelou que muitos dos seus amigos já estão procurando vagas em outros colégios. Mesmo abalado, ele garantiu que vai continuar frequentando a Escola Municipal 4 de outubro.

"Os professores estão pedindo para que nós não abandonemos a escola. Eles  Estão com medo das turmas ficarem muito pequenas. Eu vou continuar aqui. Não adianta ir para outra escola, isso poderia ter acontecido em qualquer lugar", diz um adolescente.

"Muita gente não consegue dormir quando lembra do que viu. Os corpos empilhados no banheiro, as pessoas correndo assustadas. É difícil agente tentar esquecer". Desabafou outra aluno da escola.

O diretor da Escola ainda muito abatido disse ao editor deste blog numa conversa informal que está sendo difícil superar esse momento de muita tristeza, mas a vida tem que continuar, “Estamos com dois psicólogos e três assistentes sociais na escola para acompanharem os alunos e professores para que juntos possamos superar esse trauma da grande perda da nossa estimável aluna Andressa fontes”. Finalizou. 
 
Informações do blog Sargento Andrade

Comentários