Pular para o conteúdo principal

Em posse no PSDB, Aécio chama governo Dilma de "fracasso" e elogia legado de FHC

É outro que quer ser candidato a presidência
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) usou seu discurso de posse na presidência do partido para criticar o governo do PT e afirmar que o legado deixado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ajudou o Brasil a chegar onde está hoje.
Aécio foi eleito na convenção nacional do PSDB realizada na manhã deste sábado (18), em Brasília. O mineiro obteve os votos de 521 dos 535 delegados que participaram do pleito.
— Se olharmos o que acontece com o Brasil, fica claro que os dois últimos anos foram de fracasso. Porque o governo Lula ainda se beneficiou do governo de FHC, mas os últimos tem sido de retrocessos. Vamos enfrentar um partido que se encastelou no estado e inverteu uma lógica, colocando o Estado a serviço de um partido e de seu projeto de poder.
O mineiro também defendeu as privatizações promovidas pelo governo de FHC. Nos últimos anos, os tucanos evitam defender publicamente as privatizações, especialmente nos períodos eleitorais.
— Garantimos a abertura da economia, com as privatizações.
O senador, num gesto de paz perante uma cúpula partidária que vive brigando, declarou que tem orgulho de ter como aliados FHC, o ex-governador de São Paulo, José Serra, e o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia.
— Que bom poder saber que não estarei sozinho nesta caminhada. Porque ela só fará sentido se estivermos juntos.  E me orgulho de ter ao meu lado o melhor time, a começar por Fernando Henrique.
O novo presidente tucano terminou seu discurso afirmando que seu partido "vai reescrever a história do Brasil".
— Nos aguardem e nos esperem porque vamos escrever uma nova página na história do Brasil.
Aécio Neves agora terá o desafio de pavimentar a estrada que poderá levá-lo ao Palácio do Planalto. O senador mineiro tem o apoio de grande parte dos tucanos e sua candidatura para dirigir o partido tem o respaldo de seu antecessor na presidência do PSDB, o deputado Sérgio Guerra (PE).
Ao todo, 535 filiados com direito a voto participaram da votação da nova executiva nacional do PSDB. São senadores, deputados federais, delegados dos Estados e do Distrito Federal, além dos atuais membros do diretório.
Além do novo presidente, foram escolhidos 236 nomes para compor a nova direção tucana. O voto foi secreto e registrado em cédulas logo no início da convenção.

Do R7

Nota nossa: Poís é Senador, o Governo de Dilma até o momento foi um fracasso. Mas na realidade todo mundo foi um fracasso, o Governo de Rosalba é mais que um fracasso, o Senhor (Aécio) como Senador é outro fracasso, ou seja, é um monte de fracasso, que impede que o Brasil cresça e se desenvolva economicamente e socialmente. Podemos dizer, que a maioria dos cargos políticos no Brasil são um bando de derrotados politicamente, e isto só prejudica a população, por que eles continuam faturando milhares de reais à custa do povo brasileiro. Será que este País é sério?

Comentários