Pular para o conteúdo principal

Justiça Eleitoral condena Lula, Haddad, SBT e Ratinho por propaganda antecipada

A juíza Carla Themis Lagrotta Germano, auxiliar da 1ª Vara Eleitoral de São Paulo, condenou nesta segunda-feira (25) o pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o canal de TV SBT e o apresentador Carlos Massa, conhecido como Ratinho, por propaganda eleitoral antecipada.
Todos foram condenados a uma multa de R$ 5.000 cada um, por conta da entrevista com Lula e Haddad no Programa do Ratinho, exibida no SBT no dia 31 de maio.
Ainda cabe recurso contra a decisão. A condenação foi decidida após análise de ações movidas pelo PSDB e pelo PPS contra o PT e o SBT pela entrevista. Na ocasião, Lula e Haddad foram entrevistados juntos ao vivo por Ratinho.
De acordo com a decisão da juíza, "há clara indução ao eleitor no pedido de votos, na medida em que o pré-candidato se identifica como sendo o 'novo' na política, e naquele que a população irá votar, porque quer mudança".
No processo, a defesa de Haddad argumentou que não houve pedido de votos durante o programa, e que Haddad participou apenas por alguns instantes da entrevista com Lula.
Os advogados de Lula argumentaram que a entrevista era sobre sua recuperação do câncer, e que o apoio a Haddad faz parte da liberdade de expressão a que o ex-presidente tem direito.
á os advogados de Ratinho afirmaram na ação que o apresentador não faz propaganda a ninguém, e que já convidou o tucano José Serra para participar de seu programa no SBT, além de ter entrevistado outros pré-candidatos como Soninha Francine, do PPS, e Netinho de Paula, do PC do B, que desisistiu da disputa para apoiar Haddad.

Comentários