Pular para o conteúdo principal

Ciências sem fronteiras divulga novas chamadas para sete países na modalidade graduação sanduíche

Olá galera CDF do Brasil, esse  post é de grande importância pra você que quer ter uma carreira nas melhores Universidades de mundo, prova que isto é póssível, este blogueiro por exemplo, está quase de Malas prontas pra Universidade de Bolonha na Itália,  mas como participar desse programa? Este post vai explicar esse novo  programa, uma iniciativa do Governo Federal, por meio dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC) e suas instituições de fomento - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que querem "bancar" 75 000 bolsista no exterior em 4 anos.

Para estas chamadas, o programa conta com o apoio do G8 Universities; LatinoAustralia; Conseil Interuniversitaire de la Communauté Française de Belgique (CIUF); De Vlaamse Interuniversitaire Raad (VLIR); Consórcio das Universidades de Alberta, Laval, Dalhousie e Ottawa (CALDO); Canadian Bureau for International Education (CBIE); Korea Foundation for the Promotion of Private School (KFPP); universidades da Coreia do Sul; Ministério da Educação, Cultura e Esporte da Espanha; Organização Neerlandesa para Cooperação Internacional em Educação Superior (Nuffic); e Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP).
O CsF pretende propiciar nas áreas prioritárias a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras, objetivando promover a internacionalização da ciência e tecnologia nacional, estimulando estudos e pesquisas de brasileiros no exterior, inclusive com a expansão significativa do intercâmbio e da mobilidade de graduandos.
Entre outros requisitos o candidato deve estar matriculado em curso de nível superior nas áreas e temas do programa; ter nacionalidade brasileira; ter cursado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para seu curso e se comprometer a permanecer no Brasil pelo dobro de tempo que permanecer no exterior para a realização da graduação sanduíche. É importante também observar os testes de proficiência exigidos em cada país.

No programa Ciência sem Fronteiras, as áreas prioritárias são:
  • Engenharias e demais áreas tecnológicas;
  • Ciências Exatas e da Terra; (Quem é de Geografia pode se inscrever aqui!)
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
  • Computação e Tecnologias da Informação;
  • Tecnologia Aeroespacial;
  • Fármacos;
  • Produção Agrícola Sustentável;
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
  • Energias Renováveis;
  • Tecnologia Mineral;
  • Biotecnologia;
  • Nanotecnologia e Novos Materiais;
  • Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
  • Biodiversidade e Bioprospecção;
  • Ciências do Mar;
  • Indústria Criativa;
  • Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
  • Formação de Tecnólogos.
Infelizmente o pessoal das áreas de humanas não são contempladas aqui...
É importante saber falar a lingua do país de destino, mas se você for um aluno de exelência o CsF lhe pagará um curso de indioma no país de destino.

Requisitos básicos para inscrição individual (Quando sua IES não tem parceria co o programa):
Ter entrado na IES através de um programa do governo, Prouni, SISU, etc.
Ter tirado acima de 600 pontos no ENEM
Ter alguma premiação em olímpiadas de tecnologia (Olimpiadas de Matemática, olimpiadas de ciencias, etc...)
Ter um bom rendimento acadêmico (IRA Acima de 7.5 pelo menos)
Ter bolsa nas áreas cientificas e tecnológicas do CNPq ou CAPES
Ter Proficiências no indioma escolhido

Quando sua IES tem parceria com  o CsF elas escolhem os critérios, mas são parecidos, procurem fazer o teste de proficiencia no Inddioma, nesta chamada tem pra ESPANHA E PORTUGAL aproveitem!

As chamadas destinam-se à convocação de alunos para a realização dos estudos nos países citados acima. Os formulários de inscrição e demais informações estão disponíveis aqui.
 
Veja os editais completos:

Comentários